Destaque

Jogo ofensivo, volantes participativos e posse de bola: as ideias de Jardine

Efetivado no comando do São Paulo há menos de uma semana, o técnico André Jardine planeja algumas mudanças estruturais no estilo de jogo do Tricolor para 2019. Entusiasta de uma postura ofensiva, o treinador deve trocar algumas peças na equipe para ter mais posse de bola e tentar surpreender seus adversários.

Se com Diego Aguirre, o time tinha uma proposta reativa em campo, com André Jardine as coisas devem ser diferentes. A primeira mudança estrutural deve estar no meio de campo. No treino desta quinta, o comandante sacou Jucilei e botou o garoto Liziero entre os titulares, ao lado de Hudson.

A ideia é de que os volantes tenham uma participação maior no âmbito ofensivo e também cheguem à área em condições de finalização, aliviando os meias de armação e os atacantes deste trabalho e confundindo a marcação adversária. Na maior parte da temporada, o São Paulo jogou com Hudson e Jucilei, dois atletas com características defensivas.

Já os zagueiros também terão mais protagonismo na equipe. Isto porque, Jardine entende que os jogadores de linha devem sempre que possível ocupar o campo adversário e, desta forma, ficarem mais próximos do gol. O início das jogadas de ataque que antes eram iniciados pelos volantes, agora passarão pela primeira linha da defesa, que deve ficar mais adiantada do que o comum.

Com as duas mudanças, a tendência é de que a postura do São Paulo seja diferente daquela que foi demonstrada durante a disputa da temporada 2018. A ideia é de que o time tenha mais posse de bola e passe a propôr o jogo perante seus rivais.


Sem a bola, o Tricolor também deve ser agressivo. A marcação sob pressão é uma das armas da nova comissão técnica para corrigir os erros cometidos em 2018. A ideia é de que o time atue com dois atacantes abertos pelas beiradas – hoje, Helinho e Everton – e que possam ajudar na marcação no momento da subida dos laterais adversários.

Desta forma, Jardine entende que o São Paulo pode se tornar mais competitivo e, principalmente, mais regular no ano que vem.

As ideias, claro, necessitam dos resultados para serem aprovadas. O próximo desafio é no domingo, contra a Chapecoense, pela 38ª e última rodada do Brasileirão. O São Paulo ainda sonha com uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores do ano que vem e, para isso, necessita vencer em Chapecó e torcer por um tropeço do Grêmio contra o Corinthians, em Porto Alegre.

FOnte: Lance!

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Mais em Destaque

“Peço que a torcida confie, porque temos a ambição de fazer o time ser campeão”

saopauloadmin18 de fevereiro de 2019

Marco Aurélio Cunha critica arbitragem e não descarta presidência do São Paulo

saopauloadmin18 de fevereiro de 2019

Roubado! São Paulo sofre mais uma derrota

saopauloadmin18 de fevereiro de 2019

Segundo jornalista, Cuca retornará ao futebol mais cedo que o previsto

saopauloadmin17 de fevereiro de 2019

Mancini não garante Nenê “titular” no São Paulo: “Ser meu amigo não o credencia a isso”

saopauloadmin16 de fevereiro de 2019

Mancini diz que só aceitou ser interino por Cuca: ‘É o técnico ideal’

saopauloadmin15 de fevereiro de 2019

São Paulo contrata Cuca

saopauloadmin14 de fevereiro de 2019

Reapresentação com novidades para semana de decisão

saopauloadmin11 de fevereiro de 2019

Discurso de Jardine não é traduzido em campo, e São Paulo se vê em crise

saopauloadmin10 de fevereiro de 2019