Destaque

Por onde andam? Relembre dez promessas reveladas no São Paulo

O São Paulo revelou inúmeros jogadores em suas categorias de base que fizeram e que ainda fazem sucesso nas maiores ligas do futebol mundial: Kaká, Lucas, Casemiro, Militão, Oscar, Julio Baptista…

No entanto, o Tricolor também já teve várias promessas que no decorrer da carreira, após saírem do clube, não atingiram as expectativas criadas.

Bruno Uvini – Zagueiro

Revelado pelo São Paulo em 2010, o zagueiro foi emprestado ao Tottenham, da Inglaterra, para fazer parte dos times de base do clube. Ao retornar ao São Paulo, em 2012, Bruno Uvini foi medalha de prata com a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres.

Após a Olimpíada, o zagueiro foi contratado pelo Napoli, e havia a expectativa de que se tornasse nome frequente na Seleção. Mas não foi o que aconteceu. Bruno Uvini emendou três empréstimos (Siena, Santos e Twente) até ser negociado com o futebol árabe, em 2017. Atualmente, aos 29 anos, o jogador defende o Al-Ittihad, da Árábia Saudita, comandado pelo técnico Fábio Carille.

Aislan – Zagueiro

Aislan despontou em 2008 na Copa São Paulo daquele ano ao fazer dupla de zaga com Breno. Seu companheiro subiu para os profissionais, enquanto ele foi emprestado ao Sheffield United, da Inglaterra.

Após ganhar experiência na Europa, Aislan retornou em maio e foi utilizado em alguns jogos por Muricy Ramalho na conquista do Campeonato Brasileiro de 2008. Mesmo com o título, a carreira do zagueiro não deslanchou. Após tentativa de se reerguer na Suíça, ele voltou ao Brasil e rodou por inúmeros clubes. Desde 2019, Aislan atua pelo Othellos Athienou, do Chipre.

Auro – Lateral-direito

Auro surgiu em 2014 como uma das maiores revelações para a lateral no São Paulo. O jogador defendeu as categorias sub-17, sub-20 e sub-21 da seleção brasileira e estreou nos profissionais em setembro de 2014.

Em 2015, Auro fez 16 partidas pelo São Paulo. Mesmo assim, não teve espaço no ano seguinte e foi emprestado ao Linense. Em 2019, foi contratado em definitivo pelo Toronto FC, do Canadá, onde está até hoje.

Diogo Silvestre – Lateral-esquerdo

Campeão do Sul-Americano Sub-20 e vice-campeão da Copa do Mundo da categoria com a seleção brasileira em 2009. Foi com esse currículo que Diogo Silvestre subiu para os profissionais do São Paulo naquele ano.

Mas a expectativa não se comprovou nos profissionais. Após entrar na Justiça contra o Tricolor em 2010 e ter seu pedido de rescisão negado, ele foi emprestado para Toledo, Goiás e Anderlecht, da Bélgica, no restante de seu contrato, que iria até 2013. Atualmente está no Vitória-ES.

João Schmidt – Volante

Ao lado de Lucas Moura, Casemiro e Bruno Uvini, João Schmidt foi campeão da Copa São Paulo de 2010 e passou a ser figura constante nas seleções de base. Em 2011, com Ney Franco, João Schmidt foi até capitão da seleção sub-20.

Em 2016, o volante viveu seu melhor momento com a camisa do São Paulo. Naquele ano, disputou 32 jogos, quase todos como titular, e fez dois gols.

Em 2017, foi vendido para a Atalanta, da Itália, e parecia que iria se consolidar na Europa. Foi emprestado ao Rio Ave, de Portugal, e alcançou destaque. Ao retornar à Atalanta, porém, teve uma grave lesão que impediu uma sequência no clube. Desde 2019, defende o Nagoya Grampus, do Japão.


Harison – Meia

Harison ou Kaká? Nas categorias de base do São Paulo, em 2000, a escolha para o time titular era Harison. O meia ficou conhecido por deixar Kaká na reserva, mas não chegou perto da fama do ex-companheiro ao se profissionalizar.

Enquanto Kaká ganhava a Copa do Mundo, o prêmio de melhor do mundo e a Liga dos Campeões da Europa, Harison rodava por diversos clubes no Brasil, Japão, China, Árabia Saudita e Portugal. Em 2014, se aposentou, aos 34 anos. Pelo São Paulo, foi campeão do Torneio Rio-São Paulo de 2001.

Curiosidade: Harison é irmão de Hadson Nery, o “Hadybala”, também jogador de futebol e participante da edição 2020 do Big Brother Brasil, da TV Globo.

Sérgio Mota – Meia

A aposta do São Paulo em Sérgio Mota foi alta, mas o jogador nunca correspondeu à altura. Revelado em 2007 por Muricy Ramalho, o meia foi campeão do Campeonato Brasileiro daquele ano e viria a conquistar o título nacional novamente em 2008.

Após encerrar o contrato com o Tricolor, em 2011, Sérgio Mota não conseguiu se firmar e rodou por vários clubes do Brasil. Em 2018, foi para o futebol chinês e atualmente, aos 30 anos, atua pelo Guizhou Hengfeng Zhicheng.

Lucas Evangelista – Meia

Revelado em 2013 pelo São Paulo, Lucas Evangelista foi vendido para a Udinese, da Itália, em 2014, mas não deslanchou na Europa. Foi emprestado pelo clube italiano ao Panathinaikos, da Grécia, e ao Estoril, de Portugal.

Em 2018, foi contratado pelo Nantes, da França, mas logo no ano seguinte acabou emprestado ao Vitória de Guimarães, clube que defende atualmente em Portugal.

Lucas Gaúcho – Atacante

Lucas Gaúcho chegou aos profissionais do São Paulo em 2010 com as credenciais de artilheiro da Copa São Paulo daquele ano e convocações para a seleção brasileira sub-20. No entanto, o atacante nunca foi o mesmo nos profissionais e no ano seguinte foi emprestado ao São Bernardo.

Depois, Lucas Gaúcho foi atuar em diversos mercados da bola: Tailândia, Vietnã, Tunísia, Arábia Sáudita, Lituânia, Japão, Israel e Bolívia. Atualmente, está no Qadsia SC, do Kuwait.

Ademilson – Atacante

O atacante foi revelado pelo São Paulo em 2012 após se destacar nas seleções de base. Logo em seu primeiro ano nos profissionais, fez gols importantes no Campeonato Brasileiro e na Sul-Americana e ganhou a camisa 11 do Tricolor.

Em 2013, fez o gol da classificação do São Paulo sobre o Atlético-MG, que colocou o Tricolor nas oitavas de final da Libertadores e fez dele o mais jovem jogador a marcar um gol pelo clube na competição.

O atacante, porém, não conseguiu uma grande evolução, mesmo com muitas oportunidades – ele fez 114 jogos e 15 gols pelo São Paulo. Em 2015, foi emprestado ao Yokohama Marinos, do Japão, e, em 2017, contratado definitivamente pelo Gamba Osaka.

Vale o registro…

Lucas Piazon – Meia

Lucas Piazon não chegou a disputar um jogo sequer pelos profissionais do São Paulo, mas sempre é lembrado como uma joia que não vingou. Isso porque o meia foi vendido ao Chelsea, da Inglaterra, por 7,5 milhões de euros (R$ 17,4 milhões na cotação de 2011).

Comparado a Kaká pelo porte físico, o meia nunca conseguiu se firmar nos profissionais do Chelsea e até hoje é emprestado pelo time inglês. Já jogou por Málaga (Espanha), Vitesse (Holanda), Eintracht Frankfurt (Alemanha), Reading (Inglaterra), Fulham (Inglaterra), Chievo (Itália) e Rio Ave (Portugal).

GloboEsporte

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 2 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Destaque

Mais em Destaque

Tricolor empata com o Ceará na Arena Castelão

saopauloadmin26 de novembro de 2020

Após mais de dois anos, Joao Rojas viaja com o elenco do São Paulo

saopauloadmin24 de novembro de 2020

São Paulo fica somente no empate com o Vasco no Morumbi

saopauloadmin22 de novembro de 2020

Dez motivos que fizeram o São Paulo dar a volta por cima

saopauloadmin20 de novembro de 2020

Tricolor elimina o Flamengo e avança para a semifinal na Copa do Brasil

saopauloadmin19 de novembro de 2020

Tricolor vence o Fortaleza e cola na liderança do Brasileirão

saopauloadmin15 de novembro de 2020

Brenner decide após falha e São Paulo abre vantagem contra o Flamengo na Copa do Brasil

saopauloadmin12 de novembro de 2020

Além do título inédito, saiba o que mais a Copa do Brasil pode trazer ao São Paulo

saopauloadmin11 de novembro de 2020

São Paulo é eliminado pelo Lanús na Sul-Americana

saopauloadmin5 de novembro de 2020