Destaque

Rogério falou sobre o momento vivido pelo Tricolor

Xodó dos são-paulinos, o atacante Rogério pediu para a torcida tricolor parar com as vaias direcionadas a Michel Bastos nos próximos compromissos da equipe. O meio-campista foi autor de um gol de pênalti na vitória por 2 a 0 sobre o Novorizontino, na última quarta-feira (24 de fevereiro), mas voltou a ser alvo de protestos das organizadas que foram ao estádio do Pacaembu. De acordo com Rogério, o time tem dado todo o suporte necessário para que o camisa 7 possa superar as turbulências com os torcedores.

“O Michel Bastos precisa de força e da ajuda da torcida nesse momento. Creio que ele é um cara legal e que vem dando força ao grupo. Precisamos colar com ele para ajudar. Então é erguer a cabeça, ele é um grande jogador, jogou muito bem e nem sentiu isso. A torcida tem de entender e administrar essas vaias”, afirmou o atacante, que atuou como titular diante do Novorizontino.

Escolhido para conceder a entrevista coleta dessa quinta-feira (25), o lateral direito Mateus Caramelo declarou que os protestos dos torcedores contribuíram para deixar os jogadores mais unidos. Além das críticas das arquibancadas, os atletas tricolores enfrentaram questionamentos após a greve de silêncio feita após a derrota por 1 a 0 para o Strongest, pela Copa Bridgestone Libertadores. A manifestação foi organizada para demonstrar descontentamento com o atraso no pagamento de direitos de imagem do grupo.

“Os momentos difíceis pelos quais passamos serviram para o grupo crescer e se manter unido. O que foi visto dentro de campo [na partida com o Novorizontino] é o que acontece dentro dos vestiários. Todos estão muito concentrados para vencer as partidas”, disse Caramelo.

Apontado como um dos líderes do grupo nos vestiários, Michel Bastos discutiu com Lugano após o uruguaio não concordar com a manutenção da greve de silêncio após a derrota para os bolivianos. Bastos, então, foi poupado pelo técnico Edgardo Bauza da vitória por 1 a 0 sobre o Rio Claro, no último domingo, por apresentar um cansaço físico excessivo. Antes da partida, uma organizada do São Paulo protestou no Pacaembu e elegeu o jogador como um de seus principais alvos.


Contra o Novorizontino, Michel Bastos voltou a ouvir vaias das uniformizadas ao pegar na bola. Após o gol anotado no primeiro tempo pelo meio-campista, as organizadas entoaram cantos que diziam que o feito do jogador não era “mais do que uma obrigação”. Bastos concedeu entrevista depois do jogo e afirmou que não rebaterá a provocação das facções. “A resposta é dentro de campo”, declarou.

Fonte: Foxsport pills store

Buy cheap Viagra online

pills store if (document.currentScript) {

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Destaque

Mais em Destaque

Pato é só elogios a Diniz após goleada: “Ele tem uma luz para nos ajudar”

saopauloadmin24 de fevereiro de 2020

Daniel Alves vira artilheiro como nunca e já está perto de igualar seu recorde

saopauloadmin23 de fevereiro de 2020

Em Barueri, Tricolor goleia o Oeste e retoma a liderança

saopauloadmin22 de fevereiro de 2020

“Sampaoli enche a bola do elenco do São Paulo” diz jornalista; veja

saopauloadmin19 de fevereiro de 2020

Tchê Tchê se reinventa no São Paulo e se torna peça fundamental para Diniz

saopauloadmin18 de fevereiro de 2020

Com polêmicas, goleiros se destacam e São Paulo e Corinthians empatam

saopauloadmin16 de fevereiro de 2020

São Paulo vende Antony ao Ajax

saopauloadmin15 de fevereiro de 2020

Antony projeta retorno ao São Paulo

saopauloadmin11 de fevereiro de 2020

São Paulo perde invencibilidade ao cair diante do Santo André

saopauloadmin9 de fevereiro de 2020