Destaque Noticia

Vamos, clube da Fé!

A ansiedade é imensa. O peso de seis anos e quatro meses pode sumir em Itaquera nas próximas horas.Eliminações vexatórias, luta pra escapar do rebaixamento em 3 ocasiões, péssimas gestões, contratações estranhas, queda na qualidade dos profissionais que trabalham no clube e torcedores adversários tirando sarro da nossa cara.Nunca havíamos passado por essa situação e de forma inesperada, chegamos numa condição de superar tudo isso.
                   O planejamento para 2019 foi péssimo. Escolheram um treinador competente, mas inexperiente, tendo como desafio nos primeiros jogos uma fase eliminatória pela Libertadores. Soma-se a isso, uma inoportuna pré-temporadanos Estados Unidos, que não trazia ganho financeiro e prejudicava a preparação.
                    Houve contratações de impacto, como as de Hernanes e Pablo, mas a reformulação foi incompleta, poisalguns jogadores não deveriam permanecer e posições carentes não foram sanadas, como as laterais e pontas. Tudo issoresultou na eliminação contra o Talleres, um vexame histórico. Jardine caiu e como Cuca não foi liberado pelo médico, Mancini assumiu de forma interina. 
                     Jardine entregou o time pior do que recebeu de Aguirre, o ataque continuava ineficiente, mas o sistema defensivoestava vulnerável. Era quase consensual que o São Paulo cumpriria tabela e seguiria a sina dos últimos anos. Passar de fase e ser eliminado na semifinal. O nível de jogo melhorou um pouco, mas os resultados não eram bons. 
                      Havia uma parte da torcida que achava que o melhor era ser eliminado na fase de grupos e ter 40 dias para Cuca preparar o time do que ser humilhado no mata-mata. O empate contra o rebaixado São Caetano na última rodada foi deprimente.Foi aí que as coisas mudaram da água para o vinho.
                       Quatro dias depois, Mancini promoveu alterações inesperadas que foram decisivas.  Improvisou Hudsonna LD, melhorando a marcação pelo lado direito e colocou jogadores da base do meio pra frente: Luan, Liziero e Igor Gomes. Fizemos contra o Ituano a melhor atuação desde o 1º turno do Brasileiro passado e vencemos com autoridade. No jogo de voltaadministramos o resultado e matamos o jogo no contra-ataque.
                        Na semifinal enfrentamos o Palmeiras, com mais recursos técnicos e financeiros.

Fizemos um bom jogo n Morumbi,mas não conseguimos fazer gol. No jogo da volta, com Pablo machucado, jogamos sem centroavante, mas com jogadores levese movimentação conseguimos equilibrar o jogo. A se destacar a personalidade dos jovens e as defesas de Volpi na decisão por pênaltis.
                         No 1º jogo da final, tivemos a contusão em cima da hora de Liziero e Cuca colocou 5 jogadores com característicasofensivas. Mesmo assim criamos pouco na etapa inicial, devido a boa marcação do rival. Na etapa final, Hernanes entrou no lugar de Carneiro e o time melhorou. Houve bons chutes de média e longa distância, mas o placar continuo inalterado. 
                          Resta um jogo, num lugar em que nunca vencemos. Pra ser campeão, não precisamos vencer no tempo normal. Os problemas que nos levaram a ter um péssimo começo do ano continuam. Temos um presidente fraco, omisso nos bastidores, um departamento médico longe dos seus melhores dias, quando era exemplo na recuperação de atletas. Mas o São Paulo Futebol Clubenão é formado apenas por essas pessoas. Temos uma torcida que se juntou na adversidade, que paga 100 reais na arquibancada,jovens jogadores com técnica e personalidade e Vagner Mancini, que conseguiu entregar o time melhor do que encontrou.
                         Torcer para esse clube é um privilégio, independente da fase. Quando ele está bem, me faz esquecer dos problemas,quando ele está mal, torna as coisas mais difíceis de suportar. Torcer para o São Paulo Futebol Clube é acima de tudo uma demonstraçãode fé.
                         O adversário terá a torcida, o apito e o VAR amigo e a imprensa. O São Paulo terá o amor e a fé de 20 milhõesde torcedores, que te amam ternamente. Isso não é muito. Isso é tudo.
                           Avante,São Paulo. Avante, Clube da Fé!
                                               Rafael de Albuquerque        

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 9 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Destaque Noticia

Mais em Destaque Noticia

Diniz elogia atuação do São Paulo e destaca poder ofensivo da equipe

saopauloadmin23 de fevereiro de 2020

Simples e discreto, Tchê Tchê cresce junto com o São Paulo de Diniz

saopauloadmin22 de fevereiro de 2020

São Paulo fecha preparação com trabalho em campo reduzido, coletivo e finalizações para embate contra Oeste no Paulistão

saopauloadmin22 de fevereiro de 2020

Antony é liberado, treinou hoje e deve ser reforço no sábado contra o Oeste para ajudar o SPFC a voltar a vencer

saopauloadmin19 de fevereiro de 2020

Reapresentação do São Paulo tem Alexandre Pato com novo visual

saopauloadmin17 de fevereiro de 2020

Entenda por que Diniz tirou Pato no Majestoso

saopauloadmin17 de fevereiro de 2020

São-paulinas vencem Flamengo no Rio de Janeiro

saopauloadmin16 de fevereiro de 2020

Tricolores ficam na bronca com a arbitragem após pênalti não marcado no Majestoso

saopauloadmin16 de fevereiro de 2020

4a lesão do ano: Léo para por 2 meses; Sara, Wallace e Helinho são os outros lesionados de 2020

saopauloadmin15 de fevereiro de 2020